quinta-feira, 28 de março de 2019

São João Crisóstomo

São João Crisóstomo (c. 345-407) - Presbítero de Antioquia - Bispo de Constantinopla - Doutor da Igreja

Sermão sobre o diabo tentador:

"Na sua penúria, ofereceu tudo o que possuía para viver".

Dou-te a conhecer os cinco caminhos da conversão: o primeiro é o arrependimento pelos nossos pecados; depois, o perdão concedido às ofensas do próximo; o terceiro consiste na oração; o quarto, na esmola; o quinto, na humildade.
Não fiques, pois, inativo, mas toma cada dia todos estes caminhos. São caminhos fáceis e não podes apresentar como pretexto a tua miséria.

Pois, mesmo que vivas na maior pobreza, podes abandonar a cólera, praticar a humildade, rezar assiduamente e arrepender-te dos teus pecados. Uma vez que estejas no caminho da conversão, dá o que possuis. Nem a pobreza vos impeça de cumprir este mandamento. Veja o exemplo da viúva que deu as duas moedas que tinha.

Esta é a maneira de curarmos as nossas feridas: apliquemos, pois, estes remédios. Tendo retomado a saúde da alma, aproximar-nos-emos da mesa santa e, com alegria, iremos ao encontro do Rei da Glória, Cristo. Ganhemos os bens eternos pela Graça, a Misericórdia e a Bondade de Jesus Cristo Nosso Senhor.

segunda-feira, 25 de março de 2019

Santa Catarina de Sena


Livro - O Diálogo.

Santa Catarina de Senna.

Exortação de Deus: Não julgar o interior do homem

Quando estiveres orando diante de mim por alguém e acontecer de perceberes a luz da graça numa pessoa e em outra não, parecendo-te que esta última está envolta em trevas, não deves concluir que a segunda se acha em pecado mortal. Teu julgamento seria muitas vezes errado.

Outras vezes, ao pedires por uma mesma pessoa, de uma feita a verás luminosa e tua alma sentir-se-á fortalecida naquele amor de caridade pelo qual o homem participa do bem do outro; numa outra vez, o espírito daquela pessoa parecerá distante de mim, como que em trevas e pecado, fato que tornará penosa tua oração em seu favor, ao quereres conservá-la diante de mim.

Este último fato pode acontecer, às vezes, devido à presença de pecados naquele por quem oras; mas na maioria dos casos será por outras razões. Fui eu, Deus eterno, que me afastei da pessoa. Conforme expliquei ao tratar dos estados da alma (18.1.2), retiro-me das almas a fim de que elas progridam no meu amor. Embora a alma continue em estado de graça, ausento-me quanto às consolações e deixo o espírito na aridez, tristonho e vazio. Quando alguém ora por tal pessoa, costumo transmitir-lhe esses mesmos sentimentos. Quero que ambos, unidos, se entreajudem no afastamento da nuvem que pesa sobre aquela alma.

Como vês, filha querida, seria iníquo e digno de repreensão, se alguém julgasse que a alma está em pecado mortal somente porque a fiz ver envolta em dificuldades, privada de consolações espirituais que possuía antes. Tu e meus servidores deveis esforçar-vos por conhecer-vos melhor, bem como, por conhecer-me. Quanto a julgamentos semelhantes, deixai-os para mim. A mim, o que me pertence; vós, sede compassivos e desejosos de minha glória e da salvação dos outros homens. Manifestai as virtudes e repreendei os vícios, tanto em vós como nos outros, segundo a maneira como indiquei acima (24.5.1). Desse modo chegareis até mim, após entender e viver a mensagem do meu Filho, a qual consiste na preocupação consigo mesmo, não com os demais. É assim que deveis agir, se pretendeis praticar a virtude desinteressadamente e perseverar na última e perfeitíssima iluminação (24.3), repleta de desejo santo, isto é, de zelo pela minha glória e pela salvação do próximo.


domingo, 10 de março de 2019

Clemente de Alexandria ou Tito Flávio Clemente (150 - 215)

Clemente de Alexandria ou Tito Flávio Clemente (150 - 215) - Escritor - Teólogo - Apologista - Mitógrafo Cristão.

Simplicidade e Suficiência.

A simplicidade, com efeito, pensa na santidade, equilibrando os excessos, e por meio de quaisquer coisas, tira do supérfluo o necessário. É que o simples, como seu nome mesmo indica, não sobressai, nem se inflaciona, nem se exalta em coisa alguma; é sempre plana, suave, igual e não supérfluo e, por isso, suficiente. No entanto, a suficiência é certo hábito ou disposição pela qual se chega ao próprio, sem que nada falte nem sobre. A mãe da suficiência é a justiça; nutre a "autarquia" ou virtude de bastar-se a si mesmo, o que contribui para a vida feliz. Haja pois, em vossos pulsos o ornato santo, a facilidade em dar aos outros, e as obras do governo de vossa casa. E, é assim que, quem dá ao pobre, empresta a Deus (Pr 19, 17). E, As mãos dos valentes se enriquecem (Pr 10, 4). Valentes são os que depreciam o dinheiro, e não hesitam em dá-los aos necessitados. Que em teus pés apareça uma prontidão fervorosa para fazer o bem numa viagem à caminho da justiça. Os pendentes e colares serão o pudor e a temperança. Tais são as jóias que Deus funde.

Postagem em destaque

Padre Francesco Bemonte

Padre Francesco Bemonte - Presidente da Associação Internacional de Exorcistas. São Pio de Pietrelcina, como também o beato carmelita e...