quinta-feira, 15 de junho de 2017

Lauda Sion Salvatorem

A belíssima história do Hino Lauda Sion Salvatorem, sequência da Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo (Corpus Christi).

Urbano IV encontrava-se em Orvieto, quando decidiu estabelecer a comemoração de Corpus Christi. Estavam coincidentemente naquela cidade dois dos mais renomados teólogos de todos os tempos, São Boaventura e Santo Tomás de Aquino. O Papa os convocou, assim como a outros teólogos, encomendando-lhes um hino para a sequência da Missa dessa festa.

Conta-se que, terminada a tarefa, apresentaram-se todos diante do Papa e cada um devia ter sua composição. Logo o primeiro a fazê-lo foi Santo Tomás de Aquino, que apresentou então os versos do Lauda Sion Salvatorem.

São Boaventura, após a apresentação de São Tomás, de imediato queimou seu próprio pergaminho, causando grande espanto a todos e principalmente em Santo Tomás que perguntou “por que?" O santo franciscano, com profunda humildade e intensa caridade explicou-lhe que sua consciência não o deixaria em paz se ele causasse qualquer empecilho, por mínimo que fosse à Sequência escrita pelo Santo Dominicano! De imediato todos os demais Teólogos que ali estavam para a mesma finalidade impressionados com o Hino escrito por São Tomás e a Postura exemplar e fecunda de São Boaventura, decidiram tomar a mesma decisão e todos queimaram seus pergaminhos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Padre Francesco Bemonte

Padre Francesco Bemonte - Presidente da Associação Internacional de Exorcistas. São Pio de Pietrelcina, como também o beato carmelita e...