terça-feira, 28 de março de 2017

Santo Ambrósio

Santo Ambrósio (c. 340-397) - Bispo de Milão - Doutor da Igreja

Sobre os mistérios, 24s (trad. breviário rev.)

"Queres ser curado?"

O paralítico da piscina de Betzatá esperava um homem para o ajudar a descer à piscina. Quem era esse homem, a não ser o Senhor Jesus, nascido da Virgem? Com a sua vinda, Ele não prefigurou apenas a cura de algumas pessoas; Ele era a própria verdade que cura todos os homens. Por conseguinte, era Ele que se esperava que descesse, Ele de quem Deus Pai disse a João Batista: "Aquele sobre quem vires o Espírito descer e permanecer é que batiza no Espírito Santo" (Jo 1, 33). Então, porque desceu o Espírito como uma pomba, se não para que tu a visses e reconhecesses que a pomba enviada da arca por Noé, o justo, era uma imagem desta outra pomba, de modo que nela reconhecesses a prefiguração do sacramento do batismo?
Podes estar ainda na dúvida, quando o Pai proclama para ti de maneira indubitável no evangelho: "Este é o meu Filho muito amado, no qual pus todo o meu agrado" (Mt 3, 17); quando o Filho o proclama, Ele sobre quem o Espírito Santo se manifestou sob forma de pomba; quando o Espírito Santo também o proclama, Ele que desceu sob forma de pomba; quando David o proclama: "A voz do Senhor ressoa sobre as águas, o Deus glorioso faz ecoar o seu trovão, o Senhor está sobre a vastidão das águas" (Sl 28, 3)? A Escritura atesta também que, às preces de Gedeão, o fogo desceu do céu; e que, à prece de Elias, o fogo foi enviado para consagrar o sacrifício (Jz 6, 21; 1Rs 18, 38).
Não consideres o mérito pessoal dos sacerdotes, mas a sua função. Por conseguinte, acredita que o Senhor Jesus está lá, invocado pela oração dos sacerdotes, Ele que disse: "Pois, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, Eu estou no meio deles" (Mt 18, 20). Por maioria de razão, onde está a Igreja, onde estão os mistérios, é lá que Ele Se digna conceder-nos a sua presença. Desceste ao batistério. Recorda o que disseste: que crês no Pai, que crês no Filho, que crês no Espírito Santo. Pelo mesmo compromisso da tua palavra, quiseste crer no Filho tal como crês no Pai, acreditar no Espírito Santo como crês no Filho, apenas com a diferença de que professas que é necessário crer na cruz do único Senhor Jesus.


segunda-feira, 27 de março de 2017

VIVA CRISTO REI! VIVA A VIRGEM DE GUADALUPE!

Os Cristeros foram Católicos de todo o México que formaram um grande exército e resistiram bravamente ao governo ateu e anticlerical daquele pais nas primeiras décadas do século passado. Eles lutavam em defesa da fé e da Igreja e, quando presos e sentenciados à morte, morriam bradando:

VIVA CRISTO REI! VIVA A VIRGEM DE GUADALUPE!

As Missas, naquele contexto de perseguição brutal, eram celebradas clandestinamente. Quando algum padre chegava a um povoado vestido “à paisana”, a informação corria de casa em casa com toda a discrição.
Em uma região de perseguição acirrada pelo governo ateu, em um povoado rural chega o sacerdote que era esperado no fim de semana. Decorrente desta espera os catequistas, também clandestinos, já tinham preparado grupos para receber o batismo e os outros sacramentos. A celebração aconteceria num velho armazém capaz de abrigar algumas centenas de fiéis. No domingo de manhã, o depósito contava com aproximadamente 600 pessoas.
Logo no início da Celebração, entram no local dois homens uniformizados e armados.
Um deles levanta a voz e declara: “Aqueles que se atrevem a levar um tiro por Cristo fiquem onde estão. O resto pode sair já! As portas só vão ficar abertas durante 5 minutos”.
Imediatamente, vários integrantes do coral se levantaram e saíram. Alguns diáconos também foram embora, seguidos pela maior parte dos fiéis. Em menos dos 5 minutos, permaneceram 20 pessoas dentre os 600 paroquianos tinham adentrado no local!
O militar que tinha falado olhou então para o sacerdote e disse: “Muito bem, padre! Eu também sou cristão e já me desfiz dos hipócritas. Pode continuar a celebração”.




sábado, 25 de março de 2017

Santo Ireneu de Lyon

Santo Ireneu de Lyon (c. 130-c. 208) - Bispo - Teólogo - Mártir

Contra as Heresias

"Ele é a imagem do Deus invisível; nele tudo foi criado; tudo foi criado por Ele e para Ele" (Col 1, 15-16)

Quando se tratou do cego de nascença, não foi só por uma palavra, mas por uma ação, que o Senhor lhe concedeu a vista. Ele não agiu assim sem razão nem por acaso, mas para que conhecêssemos a mão de Deus que, no princípio tinha modelado o homem. Por isso, quando os discípulos Lhe perguntaram de quem era a culpa de aquele homem ser cego, dele mesmo ou de seus pais, o Senhor declarou: «Isso não tem nada que ver com os pecados dele ou dos pais; mas aconteceu assim para se manifestarem nele as obras de Deus». Estas «obras de Deus» são, primeiro que tudo, a criação do homem, que a Escritura descreve como uma ação: "E Deus tomou um pouco de argila e modelou o homem" (Gn 2, 7). Foi por isso que o Senhor cuspiu no chão, fez lama e ungiu os olhos do cego: para mostrar de que modo se tinha realizado a moldagem inicial e, para aqueles que eram capazes de compreender, manifestar a mão de Deus, que tinha esculpido o homem a partir da argila.

E porque, nesta carne modelada em Adão, o homem tinha caído na transgressão e precisava do banho do novo nascimento (Tt 3, 5), o Senhor disse ao cego, após ter-lhe untado os olhos com a lama: "Vai lavar-te à piscina de Siloé". Concedia-lhe assim, ao mesmo tempo, a remodelagem e a regeneração operada pelo banho. Desta forma, depois de se ter lavado, «ele ficou a ver», a fim de reconhecer Aquele que o tinha remodelado e de aprender quem era o Senhor que lhe tinha dado a vida. Assim, Aquele que, no princípio, tinha modelado Adão, e a quem o Pai tinha dito: "Façamos o homem à nossa imagem e semelhança" (Gn 1, 26), esse mesmo manifestou-Se aos homens no fim dos tempos e remodelou os olhos deste descendente de Adão.

sexta-feira, 24 de março de 2017

Apocalipse 22, 11-17.

Apocalipse 22, 11-17.

Quem é injusto, seja injusto ainda; e quem é sujo, seja sujo ainda; e quem é justo, seja justificado ainda; e quem é santo, seja santificado ainda. E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra. Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim, o primeiro e o derradeiro. Bem-aventurados aqueles que guardam os meus mandamentos, para que tenham direito à árvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas. Mas, ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira. Eu, Jesus, enviei o meu anjo, para vos testificar estas coisas nas igrejas. Eu sou a raiz e a geração de Davi, a resplandecente estrela da manhã. E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida.

VIVAT CHRISTUS REX







terça-feira, 21 de março de 2017

Eu vos chamos a Humildade

Eu vos chamo a Humildade!
Sede obedientes e dóceis, pois Cristo vos Ama.
Permita-se ser Amado por Cristo e sua vida será com uma manancial de Paz e Alegrias.




domingo, 19 de março de 2017

São Josemaría Escrivá

São Josemaría Escrivá.

Justiça e Caridade.

Convencei-vos de que apenas com a justiça nunca resolvereis grandes problemas! Quando se faz apenas justiça, não é de estranhar que as pessoas se sintam feridas. Entenda que a dignidade do homem, que é filho de Deus, pede muito mais do que isso. A caridade tem que ir dentro e aos lados, porque dulcifica tudo e tudo deifica. Lembremo-nos - "Deus é Amor". Temos de atuar sempre por amor de Deus, que torna mais fácil amar o próximo e purifica e eleva os amores terrenos. Para se passar da estrita justiça à abundância da caridade há todo um trajeto a percorrer e não são muitos os que perseveram até ao fim. Alguns conformam-se em chegar apenas aos umbrais. Apoiam-se na justiça e limitam-se a um pouco de bondade, a qual entendem e chamam caridade. Não são capazes de enxergar que fazem pequena uma insignificante parte do que estão obrigados a fazer, e mostram-se tão satisfeitos consigo mesmos como o fariseu que julgava ter enchido a medida da lei só por jejuar dois dias por semana e pagar o dízimo de tudo o que possuía.

(cf. São Josemaría Escrivá - Livro: Amigos de Deus - Viver face a Deus e face aos homens - Ponto 172)
VIVAT CHRISTUS REX







sexta-feira, 17 de março de 2017

ANAWIN - KENÓSIS

ANAWIN - KENÓSIS

Não obstante, o próprio Jesus se colocou entre os “anawin” (do hebraico, que quer dizer “aquele que se curva”, isto é, o pobre de espírito) e se ofereceu como modelo (Mt 11, 26), mais ainda, reconhecemos sua humildade radical em sua kenósis (do grego esvaziamento, aniquilamento) diante do projeto do Pai: “Ele existindo em forma divina, não se apegou ao ser igual a Deus, mas despojou-se, assumindo a forma de escravo e tornando-se semelhante ao ser humano. E encontrado em aspecto humano, humilhou-se, fazendo-se obediente até a morte, e morte de cruz! Por isso, Deus o exaltou acima de tudo e lhe deu o Nome que está acima de todo nome, para que, em o Nome de Jesus, todo joelho se dobre no céu, na terra e abaixo da terra, e toda língua confesse: “Jesus Cristo é o Senhor”, para a glória de Deus Pai” (cf. Fl 2, 6-11).
De tudo que falamos podemos então entender como humilde aquele que se coloca como um “anawin” diante de Deus, confiante na Sua providência e servo diante dos irmãos. Diferente do soberbo, que confia apenas em si mesmo, o humilde, sabe que possui virtudes e que estas são provenientes de Deus para o bem do próximo. É por isto, por exemplo, que vai ensinar o Catecismo da Igreja Católica que a humildade é a virtude essencial para se possuir vida de oração (cf. n. 2559).
Resta-nos a pergunta: Como hei de chegar á humildade? A resposta imediata é: ‘Pela graça de Deus.’ Somente a graça divina nos pode dar a visão clara da nossa própria condição e a consciência da grandeza de Deus que da origem a humildade.

terça-feira, 14 de março de 2017

Um pobre de Deus

Quando um homem despreza tudo o que alimenta seu orgulho, torna-se um pobre de Deus; e Deus inclina-Se para ele, porque conhece os tormentos do seu coração (cf. Santo Agostinho).

Não alimentemos as feridas já abertas e infeccionadas, mas tratemos delas cuidando da Alma e do Coração! Na passagem do homem rico e de Lázaro, o leproso, – cf. Lc 16, 19-31 –, podemos entender que Lázaro foi levado pelos Anjos ao Céu por causa de sua indigência e pobreza, e que o homem rico foi levado á perdição eterna por causa de sua opulência e riqueza? Não! Estaríamos demasiadamente enganados ao pensar assim! Para Lázaro a “HUMILDADE O DIGNIFICOU” e para o homem rico, o “ORGULHO O CONSUMIU, O CORREU COMO VERMES AO COMER A CARNE PODRE”. De qual lepra devemos nos esquivar, lutar contra e fugir, refugiando-se nos Braços acolhedores de Cristo? Da lepra que mata a Alma! A doença Física, caracterizada pela dor e sofrimento, seja ela qual for não é pior nem mais danosa que a doença da Alma que pode levar o homem a desfigurar-se a tal ponto em relação à imagem e semelhança de Deus, que ele mesmo acaba por condenar-se acreditando não ter mais nenhuma condição de regeneração! Aqui entendemos o pecado de Judas que além da traição alimentada pela maledicência e desespero, foi acreditar que Deus não seria capaz de lhe perdoar!
Alegremo-nos em Cristo que nos socorre, que regata-nos em sua Morte de Cruz! Crucifiquemo-nos junto a Cristo para com Ele Ressuscitarmos!

VIVAT CHRISTUS REX







sábado, 11 de março de 2017

quinta-feira, 9 de março de 2017

Clemente de Alexandria

Clemente de Alexandria ou Tito Flávio Clemente (150 - 215) - Escritor - Teólogo - Apologista - Mitógrafo Cristão.

Simplicidade e suficiência.

A simplicidade, com efeito, pensa na santidade, equilibrando os excessos, e por meio de quaisquer coisas, tira do supérfluo o necessário. É que o simples, como seu nome mesmo indica, não sobressai, nem se inflaciona, nem se exalta em coisa alguma; é sempre plana, suave, igual e não supérfluo e, por isso, suficiente. No entanto, a suficiência é certo hábito ou disposição pela qual se chega ao próprio, sem que nada falte nem sobre. A mãe da suficiência é a justiça; nutre a "autarquia" ou virtude de bastar-se a si mesmo, o que contribui para a vida feliz. Haja pois, em vossos pulsos o ornato santo, a facilidade em dar aos outros, e as obras do governo de vossa casa. E, é assim que, quem dá ao pobre, empresta a Deus (Pr 19, 17). E, As mãos dos valentes se enriquecem (Pr 10, 4). Valentes são os que depreciam o dinheiro, e não hesitam em dá-los aos necessitados. Que em teus pés apareça uma prontidão fervorosa para fazer o bem numa viagem à caminho da justiça. Os pendentes e colares serão o pudor e a temperança. Tais são as jóias que Deus funde.
VIVAT CHRISTUS REX







quarta-feira, 8 de março de 2017

São Bento

São Bento (480-547) - Monge - Regra de S. Bento, XX

Eficácia da oração

Se, quando temos um pedido para apresentar aos poderosos deste mundo, os abordamos com humildade e respeito, com muito maior razão temos de suplicar ao Senhor Deus do universo com grande humildade e pureza de devoção. Tenhamos presente que não é a abundância de palavras, mas a sinceridade do coração e as lágrimas de compunção que nos tornam dignos de sermos ouvidos. A oração deve, pois, ser breve e pura, a menos que a graça da inspiração divina nos incline a prolongá-la.


domingo, 5 de março de 2017

Os sete pecados capitais

Os pecados capitais.

I - ORGULHO OU VÃ GLÓRIA:

"Paixão que nos leva a sobre-estimar e a procurar de modo exagerado a glória"

GERA:

  • Jactância - Coloca-se a si mesmo à frente e dá-se valor por presunção.
  • Afetação das novidades - ou querendo causar admiração e impressionar pelas suas atitudes audaciosas ou rebuscadas (modas, idéias, etc.)
  • Hipocrisia - ou ainda, simulando a posse de certas qualidades, para parecer o que na verdade não é.
  • Obstinação - Distingue-se dos outros pela teimosia do seu espírito.
  • Discórdia - ou pela sua vontade de desacordo, onde os corações deviam estar unidos.
  • Contenção - Impõe-se os outros por palavras duras.
  • Desobediência - manifesta-se desde a insubmissão à revolta.

II - INVEJA:

"Tristeza com o bem de outrem, porque esse bem é entendido como uma diminuição da sua própria excelência pessoal"

GERA:

  • Cochichos - Procurar rebaixar a glória de alguém falando em segredo.
  • Maledicência - em seguida, fere-se a sua reputação, dizendo abertamente mal.
  • Alegria com o mal de outrem - Se o mal chega a alguém: "É bem feito!".
  • Tristeza pelo seu bem - Inveja-se a pessoa pelos seus bens materiais e espirituais (este último ponto é um pecado contra o Espírito Santo).
  • Rancor pelo próximo - Deseja-se mal ao próximo.

III - CÓLERA:

"Paixão desregrada que nos leva a vingarmo-nos do que nos ofende".

GERA:

  • Indignação - No coração: irritação ao pensamento de quem nos fez mal.
  • Fúria do espírito - Enche-se o espírito de perturbação para encontrar meio de se vingar.
  • Clamor - Nas palavras, manifesta-se a cólera levantando a voz.
  • Injúria - As palavras tornam-se ultrajes contra o próximo.
  • Blasfêmia - Contra Deus, para jurar, clamando vingança.
  • Rixa - a querela passa aos atos: violência física.

IV - AVAREZA:

"Amor desregrado pelo dinheiro e bens materiais"

GERA:

  • Dureza de coração - Desejo excessivo de conservar o dinheiro; o coração deixa de se abrir às necessidades dos outros.
  • Inquietação - Desejo excessivo de obter dinheiro, o que leva a cuidados e preocupações exageradas.
  • Violência - Para se apoderar do seu bem, seja abertamente pela força.
  • Embuste - Seja de modo disfarçado pela artimanha - por palavras.
  • Perjúrio - (agravo pelo falso juramento).
  • Fraude - Por atos.
  • Traição - Violação dos segredos do próximo, com o fim de ganho de dinheiro (Judas).

V - GULA:

"Procura desordenada do prazer no beber e no comer"

GERA:

  • Estupidez - A inteligência indisposta pelos vapores que sobe à cabeça e que impedem a reflexão, a oração, etc.
  • Alegria vã - A razão perde a sua ascendência sobre a vontade; já não manda, porque “o vinho faz crer que tudo é bem estar e felicidade".
  • Loquacidade - Desordem nas palavras: "a língua agita-se a torto e a direito".
  • Palhaçada - Desordem dos gestos: "tudo é bom para rir".
  • Impureza - Desordem do corpo: a falta de asseio, falta de reserva e todas as espécies de excessos.

VI- PREGUIÇA:

"Procura desordenada do repouso e do prazer em nada fazer, negligenciando o seu bem espiritual"

GERA:

  • Desespero - Renuncia ao fim que o faz triste, o bem divino.
  • Pusilanimidade - Falta de coragem em relação aos meios de perfeição, que parecem muito penosos.
  • Indolência - os mandamentos comuns a todos são uma fonte de tristeza e são negligenciados.
  • Rancor - Ressentimento contra aqueles que nos querem conduzir a caminhos mais perfeitos.
  • Malícia - Desprezo pelos próprios bens espirituais.
  • Desvio para as coisas interditas - Procura de outros bens interditos, para preencher o vazio afetivo.

VII - LUXÚRIA:

"Procura desordenada do prazer da carne"

GERA:

  • Cegueira
  • Precipitação
  • Inconsideração
  • Inconstância

Obs. As quatro atingem a inteligência:

1)- Apreensão: "O amor é cego".
2)- Deliberação: Sem autocontrole, não existe reflexão.
3)- Julgamento: Erro, ilusão, decisões inflexíveis.
4)- Resolução: Indecisão, tergiversações.

O cerne de todo mal, o Egoísmo – “Refere-se as desordens da vontade”:

  • Escolha do fim: “Quero o meu prazer, ainda que desordenado...”
  • Aversão a Deus: “...mesmo que Deus mo proíba...”
  • Desordem no Amor: “Amor da vida presente e horror da vida futura”
  • Escolha dos meios: "Nada me interessa mais do que as alegrias da vida presente
VIVAT CHRISTUS REX







sexta-feira, 3 de março de 2017

Fé - Piedade - Virtude

Há três atos, meus irmãos, em que a Fé se sustenta, a Piedade consiste e a Virtude se mantém: “A Oração, o Jejum e a Misericórdia”.
Com a Oração você sustenta sua Fé!
No Jejum vivera a Piedade!
Sendo Misericordioso tornar-se-á Virtuoso!
A Oração bate à porta, o Jejum obtém, a Misericórdia recebe.
Oração, Misericórdia e Jejum são uma só coisa, dando-se mutuamente a vida.
Com efeito, o Jejum é a alma da Oração e a Misericórdia é a vida do Jejum.
Que ninguém os divida, pois não podem ser separados. Quem pratica apenas um ou dois deles, esse nada tem.

Assim, pois, aquele que Reza tem de Jejuar, e aquele que Jejua tem de ter Piedade, escutando o homem que pede e que, ao pedir, deseja ser escutado. Pois aquele que não se recusa a ouvir os outros quando lhe pedem alguma coisa, esse é ouvido por Deus.

Aquele que pratica o Jejum tem de compreender o Jejum; isto é, tem de ter compaixão do homem que tem fome, se quer que Deus tenha compaixão da sua própria fome.

Aquele que espera obter Misericórdia tem de ter Misericórdia; aquele que quer beneficiar da bondade tem de praticá-la; aquele que quer que lhe deem tem de dar. Sê pois a norma da Misericórdia a teu respeito: se queres que tenham Misericórdia de ti de certa maneira, em certa medida, com tal prontidão, sê tu Misericordioso com os outros com a mesma prontidão, a mesma medida e da mesma maneira.

A Oração, a Misericórdia e o Jejum devem, pois, constituir uma unidade!

quarta-feira, 1 de março de 2017

Padres do Deserto - Santo Antão

Os padres do deserto contam uma passagem muito oportuna sobre a vida de Santo Antão:

"Durante um dos ataques do diabo, o santo pedia insistentemente para que Deus afugentasse o maligno. Ele gritava insistentemente e aflito"Kyrie Eleison". Após um longo tempo, e somente depois de tanto clamar pela Misericórdia, o diabo se afastou. 'Neste momento, Jesus lhe apareceu'. Santo Antão olhou o Senhor, inclinou a cabeça, entristeceu-se e perguntou: "Senhor, onde estáveis quando eu mais necessitava de vós?". E então, olhando fixamente para o 'fiel servo', Jesus respondeu: 'Antão, meu filho, eu estava aqui o tempo todo, mas eu queria te ver lutar'".

Essa é a realidade! Deus gosta de nos ver lutar! E mesmo aqueles que ainda não gozam de virtudes especiais são chamados à luta contra o diabo. Não a física, é verdade, mas a espiritual, contra a tentação ordinária, que é a mais perigosa ação demoníaca. Os santos são sinais para nós, são como um sacramental. Eles nos recordam que é uma luta a vida do homem sobre esta terra. Se os santos travaram o duelo físico, nós, que não temos a mesma eleição e a mesma santidade, devemos também ficar atentos, porque também nós devemos lutar. E é através dessa luta que nós podemos manifestar a Jesus nosso amor. Não há outro caminho para céu, a não ser sendo firmes e fortes na luta contra a maldade, entregando nossas vidas, mesmo que nos custe sofrimento.

"Devemos trabalhar nesta vida, teremos toda a eternidade para descansar", São João Maria Vianney.
VIVAT CHRISTUS REX








Postagem em destaque

Padre Francesco Bemonte

Padre Francesco Bemonte - Presidente da Associação Internacional de Exorcistas. São Pio de Pietrelcina, como também o beato carmelita e...