sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

São Francisco de Assis

São Francisco de Assis.

Meu objetivo não tem como propósito informar o ignorante, mas reacender extintas chamas de fé e admoestar o indiferente, provocar a devoção no ímpio e agitar para uma virtude atenta aqueles que estavam deitados entorpecidos em seus sonhos vazios e subjetivos!

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Excerto da Obra Magna de Dante Alighieri: (Reflexão sobre - Apocalipse 3, 15-17)

Escritor: Dante Alighieri – Obra Magna: A Divina Comédia, Canto III.

Excerto da Obra Magna de Dante Alighieri: (Reflexão sobre - Apocalipse 3, 15-17)

Logo que entrei ouvi gritos terríveis, suspiros e prantos que ecoavam pela escuridão sem estrelas. Os lamentos eram tão intensos que não me contive e chorei. Gritos de mágoa, lutas, queixas iradas em diversas línguas formavam um tumulto que tinha o som de uma ventania. Eu, com a cabeça já tomada de horror, perguntei:

Mestre, quem são essas pessoas que sofrem tanto?

Respondeu o Mestre - Este é o destino daquelas almas que não procuraram fazer o bem divino, mas também não procuraram fazer o mal, misturam-se com aquele coro de anjos que não foram nem fiéis nem infiéis ao seu Deus. Tanto o Céu como o inferno os rejeitam.

Mestre - continuei -, a que pena tão terrível estão esses coitados submetidos para que se lamentem tanto?

Em poucas palavras o Mestre explicou - Estes espíritos não têm esperança de morte nem de salvação. O mundo não se lembrará deles, a Misericórdia e a justiça ignoram-nos. Deixa-os. Olha, e passa!

E então olhei e vi que as almas formavam uma grande multidão, correndo atrás de uma bandeira que nunca parava. Estavam todas nuas, expostas a picadas de enxames de vespas que as feriam em todo o corpo. O sangue escorria, junto com as lágrimas até os pés, onde vermes doentes ainda os roíam!
VIVAT CHRISTUS REX








sábado, 18 de fevereiro de 2017

Santa Ângela de Foligno

Santa Ângela de Foligno

Experiência de Santa Ângela de Foligno

"Santa Ângela de Foligno não dormiu naquela noite, quando: Ele (Jesus) chamou-a e disse-lhe - Aplique os seus lábios sobre a Ferida do Meu lado. Apliquei os meus lábios, e bebi o Sacratíssimo Sangue, e neste Sacratíssimo Sangue ainda quente eu compreendi que fui lavada. Eu senti pela primeira vez uma grande consolação misturada a uma grande tristeza, porque tinha a Paixão diante dos meus olhos. E solicitei do Senhor a graça de derramar o meu sangue por Ele como Ele tinha derramado o seu para mim".
VIVAT CHRISTUS REX








quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Oração de Jesus

Que oração é mais poderosa? A que pronunciamos em voz alta como os Salmos, os Hinos, o Pai Nosso, ou a "Oração de Jesus"?
A oração mais poderosa é a que é breve e que é feita do fundo do coração, com suspiros e lágrimas, de acordo com o que a Sagrada Escritura diz: "Das profundezas clamo a ti, Senhor. Ouça meu clamor, ó Senhor!". Esta foi a humilde oração do ladrão na cruz, da mulher cananéia, dos apóstolos quando da tormenta no Mar da Galiléia, do cego de Jericó, do leproso, de tantos outros! Assim, a mais poderosa, é a oração feita com os suspiros do coração, segundo o testemunho que diz: "Senhor, diante de ti estão todos os meus anseios; e o meu suspiro não te é oculto" (Salmos 38, 9) .

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

São Cipriano de Cartago

São Cipriano de Cartago

(†258) Bispo de Cartago e Mártir

"A Unidade da Igreja"

4 - "TU ÉS PEDRO, E SOBRE ESTA PEDRA..."

(1) Quem presta atenção a estes ensinamentos não precisa de longo estudo, nem de muitas demonstrações. A prova da nossa fé é fácil e compendiosa.

(2) Assim fala o Senhor a Pedro: "Eu te digo que tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e as portas dos infernos não a vencerão. Dar-te-ei as chaves do Reino dos céus e tudo o que ligares na terra será ligado também nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado também nos céus" (Mt 16,18-19).

(3) Sobre um só edificou a sua Igreja. Embora, depois da sua ressurreição, tenha comunicado igual poder a todos os Apóstolos, dizendo: "Como o Pai me enviou, eu vos envio a vós. Recebei o Espírito Santo, a quem perdoardes os pecados ser-lhe-ão perdoados, a quem os retiverdes ser-lhe-ão retidos" (Jo 20,21-23), todavia, para tornar manifesta a unidade, dispôs com a sua autoridade que a origem da unidade procedesse de um só.

(4) É verdade que os demais Apóstolos eram o mesmo que Pedro, tendo recebido igual parte de honra e de poder, mas a primeira urdidura começa pela unidade a fim de que a Igreja de Cristo aparecesse uma só.

(5) O Espírito Santo, falando na pessoa do Senhor, designa esta Igreja única quando diz no Cântico dos Cânticos: "Uma só é a minha pomba, a minha perfeita, única filha da sua mãe e sem igual para a sua progenitora" (Cant 6,9).

(6) Aquele que não guarda esta unidade poderá pensar que ainda guarda a fé? Aquele que resiste e faz oposição à Igreja poderá confiar que ainda está na Igreja?

(7) Paulo apóstolo inculca o mesmo ensinamento e mostra o sacramento da unidade, dizendo: "Um só corpo e um só espírito, uma é a esperança da vossa vocação, um Senhor, uma fé, um Batismo, um só Deus" (Ef 4,4-5).

(8) E, depois da ressurreição, diz ao mesmo: "Apascenta as minhas ovelhas" (Jo 21,17). Sobre ele só constrói a Igreja e lhe manda que apascente as suas ovelhas. Embora comunique a todos os Apóstolos igual poder, todavia institui uma só cátedra, determinando assim a origem da unidade.

(9) É verdade que os demais [Apóstolos] eram o mesmo que Pedro, mas o primado é conferido a Pedro para que fosse evidente que há uma só Igreja e uma só cátedra. Todos são pastores, mas é anunciado um só rebanho, que deve ser apascentado por todos os Apóstolos em unânime harmonia.

(10) Aquele que não guarda esta unidade, proclamada também por Paulo, poderá pensar que ainda guarda a fé? Aquele que abandona a cátedra de Pedro, sobre o qual foi fundada a Igreja, poderá confiar que ainda está na Igreja?
VIVAT CHRISTUS REX








segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

São Francisco de Assis

Estas são as palavras de santa exortação de nosso pai Seráfico São Francisco a todos os irmãos.

Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo!

CAPÍTULO 3. DA OBEDIÊNCIA PERFEITA:

1. Diz o Senhor no Evangelho: “Quem não renuncia a todos os seus bens não pode ser meu discípulo” (Lc 14,33), 

2 e: “Quem quiser salvar sua alma, perdê-la-á” (Mt 16,25). 

3 Abandona tudo quanto possui e perde sua vida aquele que a si mesmo abandona inteiramente à obediência nas mãos do seu prelado. 

4 E tudo o que faz e diz, sabendo que não contraria a vontade dele, e sendo bom o que faz, é obediência verdadeira. 

5 E se acaso o súdito vê algo melhor e mais útil à sua alma do que aquilo que o prelado lhe ordena, sacrifique a Deus o seu conhecimento, se aplique com firmeza a cumprir as ordens do prelado,

6 pois nisto é que consiste a verdadeira obediência feita com amor, que agrada a Deus e reverte a bem do próximo.

7 Entretanto, se o prelado der ao súdito alguma ordem contrária à alma, este todavia não se separe dele, embora não lhe seja lícito obedecer-lhe.

8 E se por esse motivo tiver de suportar perseguições da parte de alguém, que então o ame ainda mais por amor de Deus. 

9 Pois aquele que prefere aturar perseguições a querer ficar separado de seus irmãos, permanece verdadeiramente na perfeita obediência, porque “dá a sua vida pelos seus irmãos” (Jo 15,13).

10 Há efetivamente muitos religiosos que, sob o pretexto de verem coisas preferíveis às que os prelados ordenam “olham para trás” (Lc 9,62) e “voltam ao vômito de sua vontade própria” (Pr 26,11). Esses tais são homicidas e, por seus exemplos funestos, causam a perdição de muitas almas.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

A Caridade

A Caridade

Quem desejar cumprir verdadeiramente o mandamento da caridade divina deve, primeiramente, renunciando a si próprio, decidir-se a abandonar toda obra e ocupação que tenha caráter pessoal e dedicar-se exclusivamente àquelas ocupações que tenham razão de caridade.
A primeira e mais fundamental de todas as ocupações que têm razão de caridade é a oração. A oração é uma elevação da mente a Deus, para lhe pedir a fé e a graça do Espírito Santo. Por meio da fé aprendemos a desprezar as coisas visíveis enquanto visíveis. Sem fé é impossível crescer no mandamento do amor. Antes de tudo o mais, deve-se orar incessantemente sem jamais desanimar, e dar graças a Deus por tudo aquilo que em nossa vida ocorreu e por tudo aquilo que há de ocorrer. Quando alguém se entrega a Deus pela oração, Deus tem piedade dele e lhe concede o Espírito de conversão.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

São Tomás de Aquino

São Tomás de Aquino (1225-1274), Teólogo Dominicano, Doutor da Igreja.
Comentário sobre a Epístola aos Gálatas, 6.

"O nosso título de glória é o Filho do Homem entregue nas mãos dos homens"

"Quanto a mim, Deus me livre de me gloriar a não ser na cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo", diz São Paulo (Gal 6, 14). Repara, observa Santo Agostinho: onde o sábio segundo este mundo julgou encontrar a vergonha, aí descobriu o apóstolo Paulo um tesouro; pois aquilo que para outro é loucura é para ele sabedoria (1Cor 1, 17s) e título de glória.
Com efeito, cada um retira a sua glória daquilo que, a seus olhos, o torna grande; se julga ser um homem importante por ser rico, glorifica-se nos seus bens. Mas aquele que não encontra grandeza para si senão em Jesus Cristo põe a sua glória apenas em Jesus; assim era o apóstolo Paulo, que dizia: "Já não sou eu que vivo, é Cristo que vive em mim" (Gal 2, 20). É por isso que apenas se gloria em Cristo, e, sobretudo na cruz de Cristo. É que nesta cruz estão reunidos todos os motivos de glória que um homem pode ter.
Há pessoas que retiram a sua glória da amizade com os grandes e poderosos; Paulo, porém, apenas tem necessidade da cruz de Cristo, onde descobre o sinal mais evidente da amizade de Deus: "Deus demonstra o seu amor para conosco pelo facto de Cristo haver morrido por nós quando ainda éramos pecadores" (Rom 5, 8). Não, nada manifesta tão bem o amor de Deus para conosco como a morte de Cristo. "Oh, testemunho inestimável do amor!", exclama São Gregório. "Para resgatar o escravo, entregastes o Filho!"
VIVAT CHRISTUS REX








sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

São Padre Pio de Pietrelcina

São Padre Pio de Pietrelcina.

"Se eu pudesse lhe fazer entender o grande martírio pelo qual eu passo por causa do Senhor, certamente você seria um pouco mais humano, "compreenderia um pouco mais o sofrimento dos outros", não seria tão inconsequente e orgulhoso e não continuaria a desejar ser meu inimigo!
O Senhor quer julgar a todos com sua Misericórdia e não com o rigor da Justiça Dele.
Paternalmente eu o abençoo!".

(Reflexão - São Padre Pio de Pietrelcina - Epistolário III, p. 253, linha 4)
VIVAT CHRISTUS REX








Postagem em destaque

Padre Francesco Bemonte

Padre Francesco Bemonte - Presidente da Associação Internacional de Exorcistas. São Pio de Pietrelcina, como também o beato carmelita e...