domingo, 26 de junho de 2016

Padre Armando Villanueva Manzo LC

O que aprendemos nestes dias com o Padre Armando Villanueva Manzo LC na Comunidade de Aliança Adoradores do Coração de Jesus.

A firmeza de Jesus lhe conferia liberdade, aquela a que São Paulo se refere quando diz: “É para liberdade que Cristo nos libertou” (Gl 5, 1). Liberdade que se traduz em desapego da parte de quem não tem onde repousar a cabeça (Lc 9, 58). E de fato não teve. Na cruz, o Mestre ficou com a cabeça pendida, sem poder sequer recostá-la no madeiro, impedido pela coroa de espinhos que lhe feria a carne e penetrava-lhe o crânio. Sem firme decisão, esta entrega não aconteceria. Jesus foi muito firme para ser totalmente livre.
Como Jesus, todos somos chamados a sermos firmes em nossa decisão de segui-lo e servi-lo!

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Papa Francisco

Papa Francisco.

Quantas vezes encontramos um pobre e, mesmo sendo generosos e sentindo compaixão, não o tocamos. Oferecemos uma moeda, mas evitamos tocar sua mão. Esquecemos que aquele é o corpo de Cristo! Jesus nos ensina a não ter medo de tocar o pobre e o excluído, porque Ele está neles. Tocar o pobre pode nos purificar da hipocrisia e nos preocupar por sua exclusão.

(Exortação - Papa Francisco)

terça-feira, 21 de junho de 2016

São Padre Pio de Pietrelcina

São Padre Pio de Pietrelcina.

Onde não há obediência, não há virtude. Onde não há virtude, não há bem, não há amor; e onde não há amor, não há Deus; e sem Deus não se chega ao Paraíso. Tudo isso é como uma escada: se faltar um degrau, caímos.

(Exortação - São Padre Pio de Pietrelcina)

domingo, 19 de junho de 2016

Venerável Antonieta Meo

Venerável Antonieta Meo (1930-1937).

PONTIFICIUM OPUS A SANCTA INFANTIA

VENERÁVEL ANTONIETA MEO.

Antonieta Meo, chamada carinhosamente "Nennolina", nasceu em Roma (Itália), no dia 15 de dezembro de 1930. Quando tinha três anos de idade, frequentou o jardim de infância das religiosas e dois anos mais tarde inscreveu-na na Ação Católica Italiana, no grupo das mais pequeninas. Com seis anos de idade, um osteosarcoma obrigou-a a amputar a perna esquerda. Já nessa tenra idade, ela tinha um conceito do valor do sofrimento, incompreensível sem a graça de Deus. .
Uma religiosa enfermeira da clínica testemunhou: «Certa manhã, enquanto ajudava a enfermeira que arrumava o quarto da criança, entrou seu pai que, depois de a ter acariciado, lhe perguntou: “Sentes muita dor?”, e Antonieta retorquiu: “Paizinho, a dor é como a tela, quanto mais forte, mas valor tem”». Depois, a religiosa acrescentou: «Se eu não tivesse ouvido com meus próprios ouvidos, não teria acreditado!».

Começa a frequentar a escola primária com seis anos de idade, com uma prótese que muito a incomoda, mas oferece tudo a Jesus: «Cada passo que dou, que seja uma palavrinha de amor!». No dia do aniversário da amputação, deseja celebrá-lo com um grande almoço e uma novena à Virgem de Pompéia, porque graças a este evento podia oferecer seu sofrimento a Jesus.

Na noite do Natal de 1936 recebeu com ardor a primeira Comunhão e, poucos meses depois, a Confirmação. A amputação da sua perna não bloqueou o tumor, que se difundiu e chegou à cabeça, à mão, ao pé, à garganta e à boca. Tanto as dores da enfermidade como os tratamentos com que se procura curá-la eram muito intensos.

Quando encontrava um pobre, queria oferecer-lhe os vinténs de que dispunha. Gostava de frequentar a escola e o catecismo, e a Jesus assim escrevia: «Vou com entusiasmo, porque aí se aprendem muitas coisas bonitas sobre Ti e teus Santos».

Faleceu no meio de sofrimentos terríveis, ainda antes de ter completado sete anos de idade!

Foi declarada "Venerável" pelo Papa Bento XVI no dia 17 de dezembro de 2007. Sua vida constitui uma testemunha da santidade de todas as crianças que sofrem.

A respeito dela, o Papa Bento XVI chegou a dizer:

"Fiquei feliz por terdes citado uma menina, Antonia Meo, conhecida como Nennolina. Exactamente há três dias decretei o reconhecimento das suas virtudes heróicas e espero que a sua causa de beatificação possa concluir-se depressa com bom êxito. Que exemplo luminoso deixou esta vossa pequena coetânea! Nennolina, menina romana, na sua brevíssima vida somente seis anos e meio demonstrou uma fé, uma esperança e uma caridade especiais, e deste modo também as outras virtudes cristãs. Embora sendo uma frágil menina, conseguiu dar um testemunho forte e robusto do Evangelho e deixou um profundo sinal na Comunidade diocesana de Roma. Nennolina pertencia à Ação Católica: certamente hoje estaria inscrita na A.C.R.! Por conseguinte, podeis considerá-la uma vossa amiga, um modelo no qual vos inspirar. A sua existência, tão simples e ao mesmo tempo tão importante, demonstra que a santidade é para todas as idades: para as crianças e para os jovens, para os adultos e para os idosos. Cada estação da nossa existência pode ser oportuna para se decidir a amar seriamente Jesus e para o seguir fielmente. Em poucos anos Nennolina alcançou o cume da perfeição cristã que todos somos chamados a escalar, percorreu velozmente a “superestrada” que conduz a Jesus. Aliás, como recordastes vós próprios, é Jesus a verdadeira “estrada” que nos leva ao Pai e à sua e nossa casa definitiva que é o Paraíso. Vós sabeis que Antónia agora vive em Deus, e do Céu está próxima de vós: senti-a presente convosco, nos vossos grupos. Aprendei a conhecê-la e a seguir os seus exemplos".

(Audiência aos jovens e às jovens da Ação Católica Italiana, 20 de dezembro de 2007)

O que Santa Terezinha disse a Antonieta:

"Pouco depois, disse à sua mãe que estava prestes a morrer: Daqui a algumas horas eu vou morrer, mas não vou sofrer mais, e você não precisa chorar. Eu deveria viver alguns dias a mais, mas Santa Terezinha do Menino Jesus me disse: ‘É suficiente'”.
SITE DO VATICANO:

sábado, 18 de junho de 2016

Venerável Fulton Sheen

Venerável Fulton Sheen (1895-1979) - Arcebispo.

“Aqueles que pensam que a Igreja dá muita atenção a Maria, devem prestar atenção ao fato de que Nosso Senhor Jesus Cristo deu dez vezes mais de sua vida a ela (30 anos) do que aos seus apóstolos (3 anos)”. 
VIVAT CHRISTUS REX 








terça-feira, 14 de junho de 2016

Venerável Fulton Sheen

Venerável Fulton Sheen (1895-1979).
"As dores que a mulher suporta no trabalho de parto ajudam a expiar os pecados da humanidade, e extraem seu significado da Agonia de Cristo na Cruz. As mães são, portanto, não apenas cocriadoras com Deus; são corredentoras com Cristo na carne."

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Tomás de Celano


Tomás de Celano (1190 - 1260) - Biógrafo de São Francisco e de Santa Clara.

Vita prima de São Francisco - Dar tudo porque Cristo deu tudo.

Francisco, pobrezinho e pai dos pobres, queria viver em tudo como pobre; sofria quando encontrava alguém mais pobre que ele, não por vaidade mas por causa da terna compaixão que os pobres lhe causavam. Só queria uma túnica de tecido grosseiro e muito comum; ainda assim acontecia-lhe bastas vezes partilhá-la com algum infeliz. No entanto, era um pobre muito rico pois, movido pela sua grande caridade a socorrer os pobres sempre que podia, quando estava muito frio, ia ter com os ricos deste mundo e pedia-lhes que lhe emprestassem um sobretudo ou um casaco. Traziam-lhe mais depressa do que a pressa que ele se tinha dado em fazer o pedido. Ele então dizia: "Aceito com a condição de não esperarem que vo-los devolva". E, com o coração em festa, Francisco oferecia o que acabava de receber ao primeiro pobre que encontrava.
Nada lhe causava mais pena do que ver insultar um pobre ou que dissessem mal de qualquer criatura. Um dia, um irmão deixou escapar umas palavras que magoaram um pobre que pedia esmola: Não serás por acaso um rico a fingir de pobre? Estas palavras caíram muito mal a Francisco, o pai dos pobres, que infligiu ao delinquente uma terrível reprimenda e lhe ordenou que se despojasse das suas vestes na presença do pobre e lhe beijasse os pés, pedindo-lhe perdão. "Quem fala mal a um pobre, dizia, injuria a Cristo, de quem o pobre é o mais nobre símbolo neste mundo, uma vez que Cristo por nós Se fez pobre neste mundo" (2Cor 8,9).

VIVAT CHRISTUS REX


sábado, 4 de junho de 2016

Sabemos que somos de Deus

“Os soberanos da terra dificilmente concedem audiência, mas pelo contrário, o Rei do Céu, escondido sob o véu eucarístico, está sempre pronto para receber qualquer um”. (Santo Afonso Maria de Ligório - 1696-1787 - Escritor Espiritual, Filósofo Escolástico e Teólogo).
Reflexão:
Notem como Jesus continua a se dar a cada ser vivente, e notem bem quantos buscam estar com Ele!
Desde os que nunca o buscam até os que tendo condições privilegiadas, acabam por inúmeros motivos e situações acreditando que umas poucas horas bastam!
Assim como diz o São João, "sabemos que somos de Deus mas o mundo jaz sob o maligno" (1Jo 5, 19).
Sim, sabemos que somos de Deus pois vamos a Igreja, nos relacionamos com as pessoas da Igreja, vivemos em comunidades que tem suas origens, raízes na Igreja, lutamos pela Igreja, mas tudo "jaz em trevas" quando somos chamados a "viver a Igreja"!
Somos de Deus, mas quando o assunto diz respeito a silenciarmos e rendermo-nos a Cristo em Adoração, tudo "jaz em trevas" pois dizemos não ter o tempo necessário, ou condição física suficiente, dizemos ter compromissos assumidos ou que nossas necessidades são naquele momento irremediáveis!
Somos de Deus pois comungamos seu Corpo e Sangue, mas "jaz em trevas" pois preocupamo-nos mais com as pequenas devoções do que o Estar com Deus!
Somos de Deus pois rezamos, "mas jaz em trevas" pois rezamos por coisas e situações perecíveis cheias de interesse próprio a ponto de ser dito "minha oração"!
Somos de Deus externamente mas internamente tudo "jaz em trevas"!
Somo de Deus mas quando o assunto é o irmão, o olhar, o pensar, o desejar, tudo "jaz em trevas"!
Somos de Deus mas quando o assunto é não falar da vida alheia vemos que tudo "jaz em trevas"!
Somos de Deus mas quando temos que suportar as indiferenças, injustiças e escárnios, tudo "jaz em trevas"!
Diante de Cristo que esta presente por de traz do Véu do Santíssimo Sacramento, ao rendermo-nos a Ele e no silêncio Adorarmos, tudo se faz novo, tudo se renova!
Escutamos as trevas gritando dentro de nós, incitando-nos a praticas mesquinhas e egoístas, mas a perseverança diante de Cristo vai dissipando estas "trevas" e a Luz nos invade, iluminando, curando e transformando!
Somos de Deus, mas realmente o somos quando ultrapassamos, violamos os limites de nossas condições humanas para render-se a Ele, assim como Ele fez ao render-se à Cruz por nós.
Somos de Deus, mas realmente o somos quando não colocamos em questão o que somos ou quem somos, mas quando levamos em questão o que Ele É e quem Ele É!
Oração:
Senhor ensina-me a Amar.
Senhor ensina-me a Perdoar.
Senhor ensina-me a Rezar e como Rezar.
Senhor escraviza-me em Teu Amor e serei Livre.
Senhor faça de mim junto a Ti um enxerto de Amor na Cruz.
Senhor que as Vossa Chagas me dominem e que Vossa Paixão me penetre e assim serei um junto a Ti.
Amém!

Coração admirável

Coração admirável

São João Eudes (1601-1680) - Presbítero - Pregador - Fundador de institutos religiosos.

"É nisto que está o amor: não fomos nós que amamos a Deus, foi Ele que nos amou e enviou o seu Filho" (1Jo 4, 10).

O Coração do nosso Salvador é uma fornalha ardente de Amor por nós. Um Amor purificador, um Amor Iluminador, um Amor Santificador, um Amor Transformador e um Amor Divinizante.

Um Amor Purificador, em que os corações são purificados mais perfeitamente do que o ouro no fogo. Um Amor iluminador, que dissipa as trevas do inferno que cobrem a Terra, para nos fazer entrar nas luzes admiráveis do Céu: "Chamou-nos das trevas para a sua luz admirável" (1Ped 2, 9).

Um Amor Santificador, que destruiu o pecado na nossa alma, para nela estabelecer o reino da graça. Um Amor transformador, que muda as serpentes em pombas, os lobos em cordeiros, as alimárias em anjos, os filhos do diabo em filhos da graça e da bênção.

Um Amor divinizante, que faz dos homens deuses, tornando-os participantes da santidade de Deus, da sua misericórdia, paciência, bondade, Amor, caridade e das outras perfeições divinas: "participantes da natureza divina" (2Ped 1, 4).

O Coração de Jesus é um fogo que derrama as suas chamas no Céu, na Terra e em todo o Universo. Fogo e chamas que abrasam os corações dos Serafins, e que abrasariam todos os corações da Terra, se o gelo do pecado não se lhe opusesse.

Ele tem um Amor extraordinário pelos homens, tanto pelos bons e seus amigos, como pelos maus e seus inimigos, pelos quais nutre uma caridade tão ardente que nem todas as torrentes das águas dos seus pecados são capazes de a extinguir!

sexta-feira, 3 de junho de 2016

Sacratíssimo Coração de Jesus

O que o Sacratíssimo Coração de Jesus exorta neste dia:

"Quem quer sinceramente pertencer a Deus e só a Ele, não teme os ataques do inferno, por que sabe que é invencível Naquele que o fortifica. Não se irrita contra si mesmo, vê em paz suas enfermidades e 'delas se glorifica, como o Apóstolo, porque elas aperfeiçoam a virtude' e avultam o prêmio da vitória". (2Cor 11, 20;12, 9).

*Exorta-nos a Confiança, Perseverança e na Unidade junto a Ele com os irmãos*

quinta-feira, 2 de junho de 2016

São Josemaría Escrivá

São Josemaría Escrivá (1902-1975).

Se eu fosse leproso, a minha mãe abraçar-me-ia. Sem medo nem hesitações, beijar-me-ia as chagas. E, então, a Virgem Santíssima?
Ao sentir que temos lepra, que estamos chagados, temos de gritar: Mãe! E a proteção da nossa Mãe é como um beijo nas feridas, que nos consegue a cura.

VIVAT CHRISTUS REX

www.facebook.com/VivaCristoRe

www.facebook.com/groups/

VivaCristoRei/google.com/+VivaCristoRei

salvecristorei.blogspot.com.br

www.pinterest.com/vivacristorei

twitter.com/VivaCristoRei

vivacristorei.tumblr.com

www.instagram.com/vivat_christus_rex/

A Obediência - Comunidade de Aliança Adoradores do Coração de Jesus

Comunidade de Aliança Adoradores do Coração de Jesus.

"A obediência não causaria problema se fosse vivida diretamente a Deus".
Por um voto solene, no entanto, nós, filhos da Comunidade de Aliança Adoradores do Coração de Jesus colocamo-nos sob o olhar de duas pessoas, nossos Pais Fundadores, o Gilmar e a Silmara.
Deus manifesta Sua Vontade aos filhos da Comunidade através de nossos Pais Fundadores. A obediência só é possível pela Fé, no abandono total a Deus e na aceitação efetiva da Graça Redentora. Em união com Cristo e com a força de Cristo que emana da Adoração ao Santíssimo Sacramento é que nós filhos da Comunidade devemos libertar-nos dos apegos e procurar sempre a vontade de Deus e a ela se conformar, mesmo quando esta se manifesta de forma incompreensível. A obediência aos Pais Fundadores exige renúncia, despojamento de tudo o que é terreno e humano, cume de toda uma vida sem nada de próprio, mas ainda e sobretudo uma entrega total a  Deus, ponto de chegada da vida de penitência e da METANOIA - “(metanoia - mudança essencial de pensamento, transformação espiritual)".
O nosso ingresso na Comunidade é regado pela "Admissão a Obediência".

Nosso Pai Fundador nos exorta:

"Não desista de Jesus por nada! Você pode desistir de tudo, mas não desista de Jesus".

Nosso Carisma - "Adoração ao Santíssimo Sacramento".

Nossa Missão - "Conduzir o homem a uma experiência de Amor com Jesus Cristo através da Adoração ao Santíssimo Sacramento".

Nossa Alegria - "Adorar ao Senhor Jesus".

http://m.facebook.com/adoradoresdocoracaodejesus/

Postagem em destaque

Padre Francesco Bemonte

Padre Francesco Bemonte - Presidente da Associação Internacional de Exorcistas. São Pio de Pietrelcina, como também o beato carmelita e...