terça-feira, 21 de abril de 2015

Ecce Homo

Paz e Bem.

Enquanto Jesus era submetido a escárnios pelos soldados no pretório, Pilatos tentava conciliar o interesse de não comprometer sua posição política com seu dever de salvar um inocente. Nessas circunstâncias, Jesus em atitude de paz, doçura e dignidade, mas extremamente maltratado, exausto, com o corpo dilacerado, o rosto cheio de hematomas e escarros, a cabeça perfurada por espinhos de uma coroa, uma vara como cetro nas mãos e um velho manto de púrpura sobre os ombros, foi trazido à presença de Pilatos. Este, diante da multidão, diz: “Ecce homo!”, querendo dizer, “Eis o Homem!”, ou seja: vede em que estado de impotência está reduzido o homem que acusais de sublevar o povo contra a dominação romana! Esta imagem em que Jesus é lançado no maior desprezo ficou como símbolo vivo da dor humana, sob a invocação de “Ecce homo”. O Papa João Paulo II ao citar essa invocação diz: nesse desprezo, revela-se não somente o amor de Deus, mas o próprio sentido do homem; “Ecce homo” (em latim, eis o Homem), expressa o verdadeiro sentido do ser humano, ou seja, quem quiser conhecer o homem deve saber reconhecer o seu sentido, a sua raiz e o seu cumprimento em Cristo, Deus que se rebaixa por amor “até a morte, e morte de cruz".

VIVAT CHRISTUS REX






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Padre Francesco Bemonte

Padre Francesco Bemonte - Presidente da Associação Internacional de Exorcistas. São Pio de Pietrelcina, como também o beato carmelita e...