quinta-feira, 29 de maio de 2014

Obsessões demoniacas

Obsessões demoníacas.

Para evitar confundi-las com patologias psiquiátricas, alguns preferem defini-las com o termo de 'vexações demoníacas mentais (ou psíquicas)' ou então 'vexação demoníaca interna (ou interiores)'; outros com o termo 'infestação demoníaca pessoal'. Todavia, é possível que o componente maléfico e o componente psíquico sejam simultâneos.
As obsessões demoníacas são aqueles casos de agressão do demônio nos quais, mesmo não bloqueando, durante as crises, a faculdade intelectual e a livre vontade da pessoa, ele consegue não obstante comunicar à mente (imaginação e memória) pensamentos ou imagens obsessivas, às vezes racionalmente absurdas, mas tais que a vitima não esta em condições de afastar. A pessoa sente-se atormentada por uma ideia fixa, por uma imagem que percebe como estranha a si e que procura de todo modo afastar. Ela se imprime profundamente na sua mente e no seu espírito - quase como se fosse uma forma como se imprime na cera - a ponto de parecer realmente sua. As obsessões podem ser de diversas formas e de diversos graus e intensidade e podem chegar até o ponto de dominar completamente a mente de uma pessoa. Nesse caso manifestam-se como fortíssimas e prolongadas tentações. "Elas podem tomar toda a tenção da pessoa e são insistentes, malgrado uma resistência decidida e bem situada, às vezes também heroica. Podem ser absurdas tentações dos sentidos (alimentos ou sexuais), mas sobretudo são contra DEUS e todos os aspectos religiosos que nos mantém ligados a DEUS. Só o abandonar-se a DEUS ajuda a não sucumbir nessa submersão e o exorcismo vem a propósito para libertar dessa violência exterior ou interior". Frequentemente as ideias como também as sensações obsessivas são acompanhadas pela convicção de serem malucas e a pessoa se torna sempre mais preocupada, triste, prostrada e desesperada.
Alguns, sem qualquer justificada motivação, são afligidos e agitados pelo pensamento e pelo impulso de fazer o mal aos outros; outros são obsessionados pela convicção de que só um pacto com o mal poderá fazê-los sentir-se bem ou procurar para si o caminho seguro para ter sucesso na vida; outros são obsessionados pelo pensamento de profanar a EUCARISTIA; outros pelo pensamento de estarem irremediavelmente condenados; outros ainda pelo pensamento e pelo impulso ao suicídio (não são raros os casos em que a pessoa, contra a sua vontade, imagina até mesmo as particularidades precisas do próprio suicídio). As obsessões podem manifestar-se também apenas como sensações extremamente intensas, como, por exemplo, a de sentir-se semelhante a um cadáver, ou de sentir-se sepultados em um túmulo, ou então sentir odores repugnantes, etc.
O grande teólogo da vida espiritual, Padre Antonio Royo Marin (1913-2005), recorda que o demônio pode também atormentar uma pessoa dando-lhe uma repugnância, quase insuperável, para o cumprimento dos próprios deveres ou então um desejo fortíssimo do que é proibido, pode comunicar a mente fantasias importunas, nojentas, indecentes, que subsistem não obstante os contínuos esforços por afastá-las. Pode provocar acessos de ira, dúvidas, sentimentos de angústia, de desespero, movimentos instintivos de antipatia e de revolta; ou, ao contrário, impulsos afetivos e perigosas ternuras, que não têm nenhuma justificação em si mesmas e das quais a pessoa em questão encontra uma grande dificuldade para se libertar.
As obsessões podem atingir todos, tanto quem não crê, quanto os fiéis comuns e quanto as almas mais fervorosas que se empenham em uma vida mais intensa de piedade e de oração.

VIVAT CHRISTUS REX



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Padre Francesco Bemonte

Padre Francesco Bemonte - Presidente da Associação Internacional de Exorcistas. São Pio de Pietrelcina, como também o beato carmelita e...