quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

A invocação do nome do Senhor

A invocação do nome do Senhor.

Quando estamos ocupados na invocação do Nome (Jesus), é natural que tenhamos esperança e procuremos atingir algum resultado "positivo" e "tangível", isto é, sentir que estabelecemos um contato real com a pessoa de Nosso Senhor: "Se tocar sua veste ficarei curada" (Mt 9, 21). Esta feliz experiência é o cume desejado da invocação do Nome (Jesus): "Eu não te deixarei se não me abençoares" (Gn 32, 27). Devemos, contudo, evitar anelo ansioso por estas experiências: a emoção religiosa pode facilmente tornar-se um disfarce de uma forma perigosa de avareza e sensualidade. Não pensemos que passamos certo tempo invocando o Nome (Jesus) sem "sentir" nada, que perderemos nosso tempo em um esforço infrutífero. Ao contrário, esta oração aparentemente estéril pode ser mais agradável a Deus que nossos momentos de arrebatamento, porque esta purificada de qualquer busca egoísta de satisfação espiritual. É a oração da vontade simples e nua. Deveríamos, portanto, perseverar em estabelecer cada dia um tempo regular e fixo para a invocação do Nome (Jesus), mesmo que esta oração nos pareça deixar frios e áridos; este esforço sério da vontade, essa sóbria "espera" do Nome (Jesus) não deixará de trazer-nos bênção e força.

VIVAT CHRISTUS REX 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Padre Francesco Bemonte

Padre Francesco Bemonte - Presidente da Associação Internacional de Exorcistas. São Pio de Pietrelcina, como também o beato carmelita e...